sexta-feira, 7 de maio de 2010

Zelo de mãe

 

 Zelo de mãe,
cuidar de mim que sou mãe.
Zelo de mãe,
cuidar do filho que gerei.
Zelo de mãe,
cuidar do outro que não tem mãe.
Zelo de mãe,
cuidar da mãe que não tem filho.
Zelo de mãe,
ser mãe de você que é mãe.
Zelo de mãe,
ser mãe de mim que não sou mãe.

Publicado no ano de 2002, em
Sintonia - Caderno de Poesias e Crônicas,
de minha autoria.

Foto: Flickr


3 comentários:

  1. Um verdadeiro Zelo pelo amor sublime.
    Valeu, Graça.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a todas as mamães, deixo minha homenagem também, pegando carona em seu post.

    Deus nos enviou um anjo chamado Mãe

    A semente germina e nasce o embrião que se transforma em feto,
    são nove meses no aconchego de um ventre chamado materno.
    Outros nascem do coração, do desejo de procriar do infinito amor.

    Deus manda cada criatura em missão e
    determina a um anjo chamado MÃE,
    que o auxilie nessa nova etapa de vida.
    Zelar, cuidar e educar no mais singelo carinho e compreensão,
    até que esta criatura possa viver por conta própria.

    Mas o anjo tão delicado na sua essência da criação
    quer nos tornemos fortes e corramos
    para a vida com garra e determinação.
    Quer que sejamos águias e possamos voar mais alto
    que pudermos até alcançar o infinito em busca de um ninho seguro,
    um porto seguro,
    que possamos encontrar para que sejamos criaturas do bem.
    Então encontraremos a fonte inesgotável da vida.

    Esse anjo tem um pouco de Maria,
    Mãe do Criador.
    Este anjo é você, Mãe!


    de Luiza Maria da Silva Pinto Moura

    Abraços forte

    ResponderExcluir
  3. gostei muito das imagens desse poema

    ResponderExcluir